E agora, quais são seus planos pra 2013?

calendario

Mais um ano se passou…
Os panetones já estão nas bancas a muito tempo, a globo já começou a fazer propaganda do show do Roberto Carlos, e dos filmes Natalinos de sempre… Daqui uns dias a clássica música do fim de ano global começa a encher as nossas casas… “Hoje é um novo dia de um novo tempo que começou…”  E eu não sei se é impressão minha, mas parece que a cada ano, o ano passa mais rápido! Será que eu estou ficando velha?

Lembro-me quando era pequena, o ano parecia demorar demais pra passar, as férias nunca chegavam e depois era igualmente demorada a volta às aulas. Hoje em dia, meu deus.. eu ainda to pensando o que foi que aconteceu de abril até novembro? Nós já estamos em dezembro e eu não vi o tempo passar… Fico com medo de não ter aproveitado o que eu deveria ter aproveitado, fico com medo de ter empregado mal meu tempo e deixado passar oportunidades únicas… E essas nunca voltam, por isso são chamadas ‘únicas’!

Sei que 2012 foi um ano diferente pra mim, passei por uma cirurgia que mudou minha vida… Não, eu não fiz mudança de sexo não.. relaxa! Fiz uma cirurgia bariatrica. Hoje com muitos quilos a menos, sou outra pessoa. Ser magra é outra vida, tenho mais disposição, a auto-estima melhorou 500%, eu já consigo comprar roupas em lojas de gente normal. Tenho vontade sair de casa, e os meninos até olham para mim.. kkk Não vou ser hipócrita e dizer que não me importo com isso, toda mulher gosta de perceber que chamou atenção de um ou outro rapaz… Faz bem! A essencia ainda é a mesma, estou mais feliz, é claro, porém o interior ainda é o mesmo. Gosto das mesmas coisas que gostava quando era gorda, exceto algumas comidas que não consigo mais comer… Trato as pessoas da mesma forma, talvez um pouco melhor, porque afinal quando estamos bem com a gente mesmo, isso reflete no tratamento alheio. Valorizo muito mais a minha saúde. E posso dizer que sou uma pessoa ativa, frequentadora de academia, ainda não gosto dela, mas já frequento!

2012 também foi um ano de reconciliação… Depois de dois anos e meio mais ou menos, afastada da igreja, finalmente me reconciliei com o Senhor. Talvez você que me lê, não saiba, mas em Julho de 2006 eu recebi Jesus na minha vida, eu decidi deixar Ele tomar conta da minha vida, talvez você nem entenda.. e talvez você vai parar de ler esse texto agora, porque vai pensar “Affeee… lá vem, mais uma falando de religião e de Deus!”… Eu entendo a sua resistência, antes de julho de 2006 eu dizia: “Eu? na igreja? puufff… nem pensar!” Mas quando Deus decide que é o tempo de alguém encontrá-lo, não tem pra onde correr… mas esse texto não é sobre a minha conversão ao evangelho, esse é sobre a minha restauração! Depois de mais ou menos 3 anos servindo a Deus, trabalhando na obra do Senhor eu resolvi que tava cansada dessa vida de igreja, e por vários outros motivos eu me afastei… e quero deixar claro que esse não foi o real problema, porque a igreja nesse caso é um prédio. Eu não simplesmente deixei de aparecer nos cultos, eu sai da presença de Deus, eu achei que eu não precisava mais dEle! Eu pensei que eu fosse suficiente para mim! Vivi a vida longe de Deus por dois anos e meio mais ou menos… não cometi grandes pecados, digo, não matei, não roubei, não usei drogas… mas fiz muita coisa que hoje me arrependo, mesmo porque pra Deus não existe pecadinho e pecadão, é pecado e pronto! Mas aos olhos humanos não cometi grandes erros, nunca fui muito de festa… Mesmo assim sabia que faltava algo, então comecei a procurar uma nova igreja onde pudesse frequentar, acabei gostando de uma das igrejas que meu pai vai, porque temos três igrejas espalhadas pela cidade, resolvi ficar no jardim Ipê. O Espirito Santo de Deus, me quis lá por algum motivo que na época eu não sabia, hoje eu já consigo entender um pouquinho dos planos que Deus tem pra minha vida ali… Fato é me reconciliei com Deus ali e estou trabalhando, com muita vontade.. novamente entrei de cabeça na obra, e Deus tem feito coisas maravilhosas, na minha vida e na ‘minha’ igreja, creio que o crescimento alcançará nossa minitério em 2013, para honra e glória do senhor Jesus!

Esse ano que se finda também foi meu primeiro ano como profissional de verdade. Formada… Embora sempre tenha trabalhado na minha area, esse, foi o primeiro ano como formada e até nisso Deus foi fiel comigo. Mudei de emprego no começo do ano e sou muito feliz trabalhando lá! As pessoas são muito boas e amigáveis.. tirando uns e outros que me batem as vezes…kkkk Trabalho com pessoas responsáveis e comprometidas. A escola tem uma possibilidade de crescimento muito grande também e sei que trabalhando duro podemos ser a melhor e mais forte escola de idiomas de Paranavaí e região!

Diante disso tenho certeza que  2012 valeu a pena!!

Mas deixando o passado para trás, penso sobre o próximo ano…. 2013.

Na verdade, bem na verdade, eu não tinha parado pra pensar nisso até essa tarde, quando conversava com uma pessoa no facebook… claro que eu tinha planos, a gente sempre tem planos e resoluções para o ano que vem, mas não tinha parado para pensar neles ainda…

Tenho uma lista de prioridades para 2013. Com certeza continuar a servir a Deus, é o top one da lista. Mas quero fazer muitas outras coisas… são sonhos, desejos e vontades que precisam ser pensadas e planejadas.. e nem todas essas vontades dependem só de mim, muitas delas dependem de Deus, porque ninguém melhor que Ele para saber o que é o melhor para nós, então entrego tudo nas mãos dEle, para que seja feita de acordo com a Sua vontade! No entanto, algumas coisas a gente mesmo é que tem que correr atrás, então em 2013 não quero parar a atividades física, muito pelo contrário, quero voltar às aulas de dança, primeiro porque é um bom exercicio e segundo porque eu sou mesmo apaixonada pela dança e sinto muita falta dela na minha vida, então separarei um tempo para as aulas de dança! Também vou fazer aulas de técnica vocal, sempre gostei de cantar, mas gostar de cantar e cantar bem são coisas muito diferentes… e já que não sou terrível cantando aproveitarei para melhorar isso com aulas de técnica!

Possuo também desejos ministeriais, mais uma vez talvez você não entenda isso, mas garanto é real, é uma coisa que queima dentro da gente. Quero participar de projetos, um deles especialmente é o projeto chamado ‘Aldeia Nissi“, mas especificamente o “Mão na massa“, onde voluntários dão as suas férias de janeiro para ajudar na construção de um orfanato na Africa. Sim eu tenho vontade ir de verdade, sim eu aceito ofertas para pagar os gastos! 😉 (Para saber mais é só clicar aí nos link, não se preocupe, ele abrirá em outra janela)

Fora isso são coisas corriqueiras, que todos ou quase todos querem…. Eu por exemplo, quero um marido. Sim, marido, não namorado. Mas ele precisa preencher uma série de pré-requisitos e não, não estou sendo exigente demais, confie em mim! Estou sendo até bastante razoavel. kkk  É um sonho de criança poxa, sempre quis casar.. O tempo certo eu não sei.. talvez eu conheça uma pessoa hoje e case daqui seis meses, talvez eu não case em dois anos, mas o fato é, agora eu só vou namorar o meu marido, aquele escolhido e aprovado por Deus para estar ao meu lado e eu ao lado dele!

Bom… quero sim crescer profissionalmente, quero conseguir tirar meu FCE esse ano também, de repente até começar uma pós-graduação ou um mestrado. A gente nunca sabe! 😉

Basicamente esses são meus planos pra 2013, quais são os seus planos? Fazendo um balanço geral de 2012, seu ano valeu a pena?

Anúncios

E aí eu decidi fazer a cirurgia…

Quem me conhece sabe que eu sempre fui gorda, há quem diga “claro que não, você não foi/é gooorda”, ok pessoas, não precisa dizer que sou gorda, mas mentir também é muito feio. Em alguns periodos da minha vida eu fui apenas uma menina acima do peso e não GORDA, gorda. Mesmo assim se comparada as outras meninas da minha idade eu era. Fim.

Eu tentei várias coisa para emagrecer, tentei reeducação alimentar, exercícios, tentei os dois, algumas dietas meio maluca, tomei remédio. E algumas dessas tententativas funcionaram, pelo menos por um tempo. Quando eu tomei remédios por exemplo eu cheguei a pesar 63kg o que é o ideal para a minha altura, 1,70m. Fiquei megra por uns tres meses, mas aí os remédios me cansaram e eu desisti de tomá-los o que como você pode imaginar me fez ganhar peso outra vez. Por que os remédios me cansaram? Simplesmente porque os efeitos colaterais eram horriveis, eu tinha muito sono, eu fiquei deprimida e dopada. Eu sei que tudo tem um preços, mas eu pedi para o médico trocá-los ele não o fez e eu literalmente joguei todo o dinheiro que meu pai gastou comigo com viagens, consultas e remédios no lixo. Não, eu não me orgulho disso.

No fim do ano passado eu comecei a academia, o caso é, eu odeio! Odeio de verdade, o resultado é legal e tal, mas eu não tenho vontade ir, porque eu não gosto, não é prazeiroso pra mim. Mas eu estava indo. Estou, ainda, mas bem menos do que antes.

No ano novo alguns parentes nossos vieram passar a virada aqui com a gente.  Um deles é ortopedista em Curitiba, e ele comentou com meu pai que tinha um médico amigo dele com uma equipe bem legal que estava fazendo um ótimo trabalho. E ele perguntou se meu pai não achava que seria uma boa idéia fazer a gastroplastia. Meu disse que conversaria comigo. E ele conversou comigo, o próprio primo conversou comigo, dizendo que o processo agora já eh bem simples, a recuperação é ótima e todo o blá blá blá. Enfim, decidi: entraria na faca.

Marcamos uma consulta e fomos até Curitiba, como não somos bobos, aproveitamos e passamos um fim de semana na casa dos parentes de lá. Unir o util e o agradável né, minha gente!.. Sempre bom! Eu gostei muito do médico, ele é novo, conversa muito com a gente e nos deixou bem tranquilos. No entanto decidimos que iríamos com calma. O médico pediu um montão de exames, muitos mesmos, eu nunca fiz tanto exame em toda a minha vida como fiz dessa vez. Foram feitos todos os tipos de exames de sangue possíveis, para descobrir como eu estava. Nesse primeiro momento estavamos verificando quanto a obesidade havia afetados a minha saúde. Então fui encaminhada, para um ortopedista, um cardiologista, um psicologo, um endocrinologista. Em cada um desses médicos fiz exames diferentes. O cirurgião, a endrócrino e o psicólogo são de Curitiba. Os demais são daqui mesmo. Fui super bem atendida por todos eles. Descobrimos pela ressonância que fiz no joelho (aliás… que exame mais chato, sennhoras e senhores, você não pode fazer nenhum movimento, por meia hora, e é justamente nessa hora que fosse quer tossir, espirrar, coçar-se, só pq você não pode) que ele era de fato podre. Na verdade, não foi uma descoberta, foi só uma confirmação. O restante estava normal, menos o colesterol que tava um pouquinho alto, mas considerando o meu peso, estava normal. Acontece que quando fui ao médico pela primeira fez a pressão estava um pouco alta, e depois normalizou. Antes de levar os resultados dos exames foi meu aniversário, colação de grau, carnaval e etc. Acontece que eu passei mal no meu aniversário. A minha pressão chegou a 18/11 se eu não me engano mas é alguma coisa perto disso. O cirurgião decidiu pedir um exame para verificar se era apenas um evento isolado ou se eu estava realmente com a pressão alta. Eu estava minha pressão chegou a 20/12 durante o exame. Se você não está entendendo o que eu estou falando o exame é feito da seguinte forma: Você vai ao consultorio e eles colocam aquele negócio no braço que infla para medir a pressão no seu braço e uma maquina que está programa para verificar sua pressão de 15 em 15 minutos durante o dia e de 30 em 30 minutos durante a noite, super agradável! Você fica com a aparelho um dia inteiro e o médico consegue saber se são eventos isolados ou se de fato a pessoa está hipertensa. O que foi o meu caso. Calma para a alegria de todos, ou não, eu não morrerei do coração. estou devidamente medicada.

Verificado todas essas coisas, o médico pediu então exames pré-operatórios, com um médico vascular e um pneumatologista. Mais dois médicos para a minha coleção Yay! Tudo certo, voltamos ao médico e finalmente marcamos a cirurgia. Será dia 23/05, ou seja daqui exatamente 22 dias. Eu to ficando ansiosa e já quero comer tudo o que posso antes da cirurgia porque depois eu não poderei comer normal mais. O pós-operatório é simples e disseram as pessoas que já fizeram a cirurgia que não é dificil porque você não sente fome. Mas a gente nunca sabe né! Ficarei só dois dias no hospital, se tudo correr bem,  depois ficarei na casa de uma tia lá em Curitiba, porque não poderei viajar asntes de 15 dias. Nos primeiros 15 dias depois da cirurgia eu não posso comer absolutamente nada, apenas liquidos, e apenas 50ml de cada vez. Nos outros 15 dias entra a dieta pastosa, que consiste obviamente em alimentos pastosos, purês, polentas, e coisas esmagradas, mas sempre bem pouquinho. E só depois de um mês que vou poder voltar a comer de tudo. Comer de tudo mas não comer normalmente, até porque se comer normalmente como antes, engordarei tudo outra vez. E esse definitivamente não é o meu objetivo.

Como isso tá ficando longo e eu só queria contar como e porque eu decidi fazer a cirurgia, vou para aqui. Mas por favor, se tiver alguma pergunta, não tenha vergonha de comentar e perguntar o que quiser!

PS: eu não revisei o texto, por isso você deve ter encontrado muitos erros de pontuação, acentuação e até concordância. Também deve ter aparecido erros de digitação e grafia mesmo! Como de costume eu sempre publico antes de revisar e já digo o porquê. Porque se eu for revisar antes eu simplesmente não publico. Então sim, eu cometo erros, muitas vezes absurdos, deal with it!

PS2: pretendo fazer outro texto sobre o assunto, mas a gnt nunca sabe!

A chuva

Antes do texto propriamente dito, breves esclarecimentos.

Eu disse pra algumas pessoas que escreveria sobre meu ultimo ano de faculdade, mas não consigo consumar a idéia de que acabou. E também não estou afim de chorar agora… Portanto esperarei mais um pouquinho!

Tenho mais alguns textos já escritos pra publicar também então talvez esse blog abandonado justamente por causa do ultimo ano de faculdade, será tirado das cinzas e revitalizado com textos mais frequentes. Não que alguém se importe, mas enfim…

Também não sei como ficará a configuração do texto a seguir porque eu só copiei e colei do word.. portanto deal with it!

ok.. agora sim..  ao texto..

É engraçado praia com chuva. Quando sai pra ir a praia achei, pela sorte que tenho, que choveria todos os dias. Chegamos no sábado a tarde, umas três horas… Arrumamos tudo no apartamento, fomos ao mercado e resolvemos ir a praia de fato, chegando lá o tempo fechou, as nuvens estavam bem escuras e carregadas. Pensei comigo, “Vai passar, tá ventando bastante!” Coloquei minha toalha na areia Sentei e abri meu livro. Não demorou muito para escutarmos trovões e até vermos alguns relâmpagos. Ainda na vibe “Relaxa Carol, vai passar!” olhei pro meu pai que estava jogando bola com o meu irmão. Nem sinal de preocupação. Passei então a observar as pessoas. Mães gritavam seus filhos e pediam pra sair da agua. Outras mulheres recolhiam as toalhas e os guarda-sóis, saiam arrastando as crianças, cadeiras e toalhas. Como se o céu pudesse despencar a qualquer momento. Abaixei minha cabeça outra vez e continuei lendo o primeiro paragrafo do capitulo, afinal era só uma nuvem escura. De repente uma gota.. Depois outra… Olhei meu pai outra vez, ele continuava jogando bola. Voltei ao livro, ainda no primeiro paragrafo. Outro pingo. Olhei em volta, mulheres, homens e crianças apavoradas, correndo para algum abrigo… Eu não entendi muito bem, elas já estavam molhadas, não era preciso correr. Olhei o céu, o tempo estava bem feio, de verdade. Voltei ao livro, certamente a chuva não passaria de alguns pingos, julgando pela velocidade do vento as nuvens escuras e carregadas passariam logo. Havia esperança. Outro pingo mais um, outro e outro e escuto meu pai: “Carol, não vai ter jeito, vamos ter que ir!” Olhei pro céu, sorri e pensei ‘tudo bem, o que posso fazer?!’ Fechei o livro, sacudi a toalha, coloquei tudo na bolsa e viemos embora. No caminho comentei “saímos correndo, aí a gente chega ao apartamento e a chuva para” Chegamos no apartamento e o céu já abria de novo. Tive uma breve conversa com o senhor do tempo: “Você só pode estar de brincadeira comigo?!?” No fim acabou chovendo durante uma hora mais ou menos. O engraçado de tudo isso foi ver as pessoas desesperadas, como se aquele tempo que armou fosse um ensaio para o fim do mundo se não o próprio, em poucos minutos a praia estava vazia. Tudo bem que tinha uma nuvem bem escura em cima de nós, mas pra quê todo o desespero, medo de se molhar como já disse não faz o menor sentido, raios talvez, mas não formou uma tempestade, apesar das nuvens bem carregadas, era apenas uma chuva. Não precisava ser um meteorologista pra saber. Todo esse desespero para uma hora de chuva que nem foi tão intensa. Sorte do ser que decide quando chove ou não. Por que vir a praia e ficar no apartamento o dia todo não dá não!

Desgraça pouca é bobagem!

 

Olá!

Mais ou menos duas semanas atrás eu perdi/roubaram meu celular. Pra quem não sabe, eu tinha um N8. Meu pai fez um plano empresarial e acabamos ganhando esses celulares no rolo, um pra cada um, pra mim, pro meu pai e meu irmão. Se você não sabe que raio é um N8. aí está uma imagem do bicho.

Esse bonitão aí!

Ele fazia exatamente tudo que eu poderia querer e/ou imaginar. Eu tinha msn (com a senha gravada), facebook, twitter, acesso á internet quando, e onde eu bem entendesse. A câmera dele era perfeita, tanto pra foto como pra vídeo, e o som também era excelente. Transmissor FM, o que era muito útil e me poupava de gravar milhares de cds pra ouvir no carro. Enfim… eu me afeiçoei rapidíssimo por ele, logo estava apaixonada, também com todas essas qualidades…peguei amor pelo bichinho! Ele tinha uma capinha bem bonitinha que comprei na Imaginarium…pois é..

Já ouviu dizer que alegria de podre dura pouco? Um belo dia, fui à uma loja com a minha mãe comprar uma calça. Minha mãe me deixou em frente e eu demorei pra descer do carro, pois estava pegando o celular, resultado: levei uma bronca. Veja bem como são as coisas, eu não ia pegar o celular, minha bolsa estava dentro do carro, e nós iriamos à casa da minha vó. Mas aí não porquê, eu retardada que sou resolvi pegá-lo. Muito bem! Entrei na loja fui atendida escolhi algumas calças e me dirigi ao provador, acontece que eu não tinha onde por o celular e não dá pra segurar na mão e trocar/provar calças ao mesmo tempo. acontece que a burrice em pessoa que vos escreve, ao invés de colocar o celular sei lá, dentro do tênis, enfiou o bendito no bolso de uma das calças que estavam penduradas, que tecnicamente eu provaria, não dando certo nenhuma das calças, só tirei do gancho e entreguei pra minha mãe. A essa altura ela já estava dentro da loja comigo, eu só sai primeiro pra ir mais rápido já que não tinha vaga pra estacionar ali por perto. Pois bem, entreguei todas as calças pra minha mãe, e pedi outro número, ela voltou com a numeração certa, eu provei uma não gostei e saí pois já estava de saco cheio. Nessa hora eu lembrei do celular. Devo ter pensado em olhar a hora ou coisa parecida. Lembrando do objeto, avisei minha mãe. “Aí meu celular tava no bolso de uma das calças que te entreguei” Ela só olhou pra mim desaprovadamente e disse: “aí, Carol” – frustadíssima…

Não encontrei mais o celular. O mito é que roubaram, pois tinha muita gente ao redor do balcão quando ela devolveu as calças. Procuramos a loja toda, olhamos na câmera de segurança, mas não conseguimos encontrar nem identificar nada… Eu já chorei muito por isso, passei o fim de semana mais forever alone da vida inteira… E nem for por opção dessa vez. Nem que eu quisesse eu conseguiria ligar pra alguém. Toda a minha vida social estava lá no celular. Cancelei o chip no mesmo dia, e tudo.. mas toda vez que vejo o celular do meu irmão me sinto a pessoa mais burra do mundo. Por que eu não deixei a merda do celular dentro do carro? Por que eu não pensei em colocá-lo dentro do tênis enquanto experimentava as calças? Não há possibilidade de calçar o tênis com o celular dentro. E pior que quem roubou já desligou o mesmo na hora, pois não deu mais que cinco minutos de intervalo entre o devolver a remessa de calças e eu provar a outra. Tentamos ligar e nada.. procuramos e nada.. conferimos as fitas das câmeras e nada.. Ainda sofro, mas é a vida.

 

Não bastando toda essa disgramera com o celular.. hoje sai pra comprar um lanche, um cachorro quente pra ser mais exata, cheguei lá não tinha lanche, rodei um pouco no centro da cidade e decidi pedir um outro lanche em outro lugar… Meu irmão estava comigo ele ligou e pediu, o atendente disse que demoraria uns 20 minutos pra ficar pronto. Resolvi ficar dando voltinhas, A gasolina tá barata mesmo… tenho um poço de petróleo aqui no quintal… vamos nessa! Acontece que em determinado momento eu vejo uma luz piscando no painel.

Essa luz!

Assim que vi a luz piscando assustei e perguntei pro meu irmão: “Pepeu o que é essa luz piscando?” Sou menina poxa, não intendo de carro, sei que se fizer barulhos estranhos não é bom sinal, sei qual é a luz do feito de mão do desembaçador, e outras coisas comuns, mas essa aí nunca tinha acendido no meu painel. Eis que o moleque responde: “Vixiiii é a temperatura, olha ali tá 130º Graus.” Pensei, F&@#%! Parei o carro na hora. Ligamos pro meu pai e perguntamos o que fazer ele disse que era preciso esperar que o carro esfriasse, eu não estava parada em um local muito seguro, mas era obrigada a ficar ali. Como alguns sabem eu já fui assaltada… tenho muito medo de ficar com o carro parado assim, mas não tinha o que fazer… Como desgraça pouca é bobagem, eu sai de casa sem intenção de descer do carro, sabe quando dizer que quanto mais malacafenta você sai de casa mais pessoas conhecidas você encontra? Isso também funciona para desgraças..  eu sai de casa de camiseta de pijama, não ela não era bonita e uma short super hiper curtíssimo, sim pra você ter ideia do comprimento. Bom, era praticamente uma calcinha. Imagine essa cena meus amigos, eu com o carro parado no meio da rua, pisca alerta ligado,  morrendo de medo, com um pai bravo à caminho.. de pijama e ‘calcinha”.. sem poder descer do carro… Por sorte eu achei um moletom no porta malas (ainda bem que não tirei aquilo de lá). Assim que “os primeiros reforços” chegou (no singular porque “os primeiros reforços” é minha mãe e somente ela) peguei outra blusa de agasalho que ela tinha dentro do carro dela, e amarrei na cintura, meu pai chegou uns cinco ou dez minutos depois, conseguimos controlar a temperatura e chegar até o posto. Levei uma bronca do pai, como era o esperado, amanhã terei de levar o carro à oficina, e provavelmente ficarei sem o mesmo por um tempo, ou não.

To precisando de oração gente.. primeiro o celular, depois o carro.. chego em casa e meu ventilador também resolve entrar para o grupinho da desgraça e pára de funcionar por um momento… Assim não dá né..

Por isso que eu sempre concordei com a minha professora de literatura do ensino médio “DESGRAÇA POUCA É BOBAGEM”  Bom mesmo é se ferrar beeeem grande! ¬¬

 

 

Só comigo viu… tsc tsc tsc