Sobre o Muffato…

Só pra constar o texto abaixo não é meu.. foi meu pai quem escreveu.

 

 

Na tarde de ontem, o pessoal ‘estrategicamente” simulou um happy hour (nem sei se está correta a escrita), mas se assim não for, simularam um “momento feliz”, indo ao Muffato, sob o pretexto de tomar um chopp, mas na verdade, foram fazer uma análise de mercado. Não pude ir, pois fiquei preso à outros projetos de menor importância, porém fiquei sabendo que, enquanto os nossos colegas de sala, levantavam seus esguios copos dourados, simulando apreciar aquele líquido de gosto amargo, porém gelado, diga-se “detestável” (mas o que não se faz por amor à pesquisa..), na verdade estavam eles, analisando o perfil do consumidor Paranavaiense, alimentados pelo sonho de consumir num local bonito. Descobriram nossos “pesquisadores”, escondidos por trás de suas taças com liquido dourado, que agora as pessoas, gastam as suas economias, “com alegria” e que as pessoas, não compram somente o que precisam, mas investem em sonhos quase irreais, até então, como por exemplo “televisores de 42””, mesmo que esse sonho, tenha um preço para ser pago em 20 (vinte) vezes. Descobriram os pesquisadores, ao pisar o solo brilhante do granito claro, que mais de 1500 famílias de Paranavaí, de forma “emocional” se tornaram reféns dos investidores, por pelo menos 20 meses, comprometendo grande parte de suas rendas, só para assistir a novela, numa tela, mais fininha,. Ahhhh, mas não é só isso. Paranavaí, mudou. Agora as mulheres, que antes se empurravam nas filas linguicíneas (construção gramatical minha que significa = tipo linguiça), do São Francisco, esperando a vez para pagar a “compra”, agora comparecem ao mercado, de saltos altos, maquiadas, e antes de se dirigirem ao mesmo, vão ao cabelereiro. Percebam a mudança comportamental. Agora as pessoas estão correndo às concessionárias de veículos, fazendo pedidos de carros novos, pois afinal o estacionamento do Muffato, ficou tão bonito…. Gente, e aquela rampa que anda sozinha.. é perfeita! Outro fato importante notado por nossa equipe de pesquisadores: Paranavaí, só tem “um” monte de gente. Quando tem exposição, o referido “único monte”, está no parque de exposições e a cidade fica deserta. Se tem um show importante, o “monte único”, vai para o show e a cidade fica deserta, se tem um jogo de futebol interessante como foi a final ACP X CORITIBA, o monte vai para o estádio e a cidade, fica deserta. Agora o monte se localizou justamente no Muffato. Gente, precisa pulverizar um pouco. Se cair uma bomba no Muffato, perderemos 95% da população, isso é terrível… Ouvi dizer que, que o novo Hotel, foi construído num local, totalmente inadequado, sabe porque? é longe do Mufatto! O Mufatto agora é referência: sabe o posto perto de mufatto? e quando abrir o shopping Cidade? Vamos combinar uma coisa: Quando abrir o shopping, que as lojas Americanas, façam oferta de outra coisa, televisor não! Acredito que a pesquisa vai avançar mais, o tempo foi curto para poderemos aferir todas as mudanças, mas o que é aquilo? Tem gente que só agora descobrir que a esfirra daquela mulher é boa mesmo! Confesso que o Pedro (meu filho) é um frequesão daquela esfirra, mas a esfirra lá da praça de alimentação…. hummmmmm! Sabe, o local, agrega sabor até a esfirra e não importa o preço, é bom ir no Muffato e acabou! Continuamos no próximo capítulo. Ahhh O Guguy está com umas ofertas essa semana…. Imperdíveis!

 

 

Adolescente é um bicho diferente

Olá! Meu nome é Carol, e eu tenho um irmão adolescente!

Pois é, eu também já fui adolescente, mas na época não tinha que aguentar um. Meu irmão é oito anos mais novo que eu, hoje tenho 23, se você pensar um pouco vai descobrir que meu irmão está no auge da adolescência, com 14, quase 15.

Meu irmão está insuportável, não é que eu não ame o menino, porque de fato eu o amo e muito (droga!), mas ultimamente ele tem sido um idiota de primeira, eu sei entender, no entanto não sou obrigada a aguentar.

Estes seres ainda em evolução pensam que são os reis do mundo, e decidem mandar em você também. Até aí voc~e finge que obedece e eles acham que estão mandando. O problema é aguentar eles controlando o som, os canais da tevê, os tópicos de conversas… É nesse exato momento tenho que assistir ESPN porque o bonito não pode assistir tv no quarto dele, tem que vir encher aqui na sala!

Mas não era exatamente sobre isso que eu queria falar… Esses dias no twitter.. (De novo Carol? Sim, outra vez!) alguém falava sobre adolescentes, que eles pareciam idiotas, mas que nós também fomos.. E é verdade!

Lembro da minha adolescência, vagamente, mas me envergonho um pouco de algumas coisas..

Todas as gerações tem suas modinhas adolescentes, na minha época a moda era ser emo, ou pertencer a alguma tribo, ou gostar de Boy bands, Spice Girls e/ou Britney Spears.. Pois é eu atendia a todos os pré requisitos que um adolescente preciso para o ser ainda mais insuportável que o normal. Me achava dona do meu próprio nariz… eu não precisava obedecer os pais porque afinal de contas eu JÁ tinha 13 anos, não era mais criança. No entanto assistia Rebelde e Chiquititas no SBT, passava as manhãs sem aula assistindo, sei lá, o equivalente a TV Globinho e ainda me sentia a mulher maravilha porque eu passava um lápis beeeem preto no olho e usava um allstar de cano alto… Pois é eu era idiota, e meus pais confirmam quando eu pergunto algo a respeito. Qual o problema então dos meninos e meninas de hoje? Por que eles parecem mais idiotas e/ou retardados do que nós que estamos na segunda década de existência? Respondo. Simplesmente porque não somos mais adolescentes, antes nós ÉRAMOS, não era preciso aguentar nenhum deles. Nós achávamos que estávamos certos ser como éramos. E isso é o que eles acham agora, é a fase que eles estão passando! E tem que ser vivida, daqui uns 5 ou 6 anos eles acharam a próxima geração dessa ‘raça’ anda mais idiota, ainda mais boba. E não vão suportar-los assim como nós hoje!

Fato é que não devemos nos preocupar tanto assim, essa fase vai passar e eles serão pessoas normais de novo! Mas por enquanto vamos deixá-los curtir a fase boa e sem muitas preocupações, deixe que eles escutem as bandas coloridas que gostam, deixe as meninas gostar de Luan Santana, mais pra frente os ídolos e gostos musicais se modificaram, assim como sua personalidade, e senso do ridículo. É díficil mas tente não se incomodar com todos os ataques de “Eu sou o melhor aqui e você não sabe de nada”, isso vai passar!

Adolescente é mesmo um bicho diferente! Mas talvez será a melhor fase da vida deles, como foi a minha, ou a sua… a nossa! Os melhores amigos foram conhecidos na adolescência… As melhores experiencias e também as mais estranhas.

So, Enjoy it!    =)

 

A saga da comida

 

Sabe, eu gosto do meu irmão e tudo, mas às vezes ele me tira do sério. Por exemplo hoje. Contar-lhes-ei.

Eu passei o dia todo em casa, vegetando. Bom, não necessariamente, mas passei o dia no msn, twitter e assistindo tv. Meu irmão, só pra variar passou o dia na casa do meu pai, e quando chegou estava, sei lá porque motivo, um pouquinho de mal humor. Ele nem foi estupido nem nada, só não deu ‘oi’ direito. Trazia uma pizza dessas congeladas que  compra-se no supermercado. Primeira coisa que perguntou foi:
– Vocês vão pedir comida?
Minha mãe respondeu que não e emendou um ‘Por que?’
– Porque se vocês forem pedir comida eu vou guardar a pizza. Mas vocês vão comer?
Mais uma vez mãe disse que não ia pedir e que também não queria comer. Eu, por minha vez, disse que buscaria um cachorro quente mais tarde.
E tudo correu bem, ele colocou a pizza assar… e na hora de comer, por algum motivo desconhecido ele achou que a pizza estava ruim.
Ele fez-nos provar a pizza que aparentemente não queria dividir. Cheguei a essa conclusão pelo fato de ele ter perguntado “nem a Carol?” quando minha mãe disse que não comeria. Ela não estava ruim, apenas crua. O moleque coloca a pizza congelada no forno e acha que em dez minutos ela estará pronta? Não mesmo!
Eis que a criança (que não é mais tão criança) decide por defeito na batata palha. Sim, ele colocou batata palha em cima da pizza e disse que essa estaria ruim por causa da pobre batata. Eu tinha aberto o pacote na hora do almoço. Isso era simplesmente impossivel. Tentei explicar, inutilmente.

Troquei-me, e anunciei:
– Tô indo buscar um cachorro quente!
– Então vou com você.

Pensei “WTF? Chega e não quer dividir uma pizza e eu tenho que pagar um lanche pra você? No way!”
– Mãe, vou precisar de dinheiro então. (De fato, porque cinco reais era tudo o que eu tinha)
Ela mandou eu pegar o dinheiro que estava no quarto dela.. e eu fui, feliz e com muita fome, buscar o lanche.
Problema foi: o cachorreiro(pessoa que faz o cachorro quente, para os desavisados) não estava lá, virei na próxima esquina voltando para casa. Eu queria cachorro quente não queria outra coisa. Acontece que o irmão ficou meio bravinho com isso.
– Você tá indo pra casa?
– Sim.
– Ah!
– Por que? Você quer alguma coisa?
– Mas aí eu vou comer sozinho?
– É Pedro, eu queria cachorro quente, não tem, eu vou pra casa.

É um raciocinio simples, estou errada? Mas ele não pensa assim…

– Ah, então não…
– Mas você não quer nada, a gente já tá aqui mesmo.
– Não, deixa.
– Não tem nada que você esteja com vontade?
– Não, deixa.

E aí rolou um discussão do tipo “Por que você está brava? não estou, não precisa falar assim. Tudo bem você está certo.”

Bom, não quer, não quer. Vou pra casa mesmo então. – pensei. Doce ilusão! Chego na esquina de casa ele diz:
– Um lanche do posto.
Sim, eu tive vontade de matá-lo, mas apenas continuei indo reto em direção ao posto. Comprou o lanche dele, viemos pra casa, ele comeu o lanche. Eu sabia que tinha strogonoff na geladeira então decidi comer. Ofereci pra minha mãe que também não tinha comido nada até então. Ela disse que não queria. Ok. O problema é: Sou um pessoa muito boazinha! Sabendo que o irmão gostava de strogonoff ofereci, mas esperava de fato que ele não aceitasse, porque tudo o tinha sobrado eram duas colheres.

– Pepeu, quer strogonoff?
– Só um pouquinho!

Mas tudo o que tinha era um pouquinho. Ele não sabia, maaaas… poderia ter tido o bom senso, whatever
Fato é que eu acabei ficando sem janta, porque sim, eu deixei as duas colheres de strogonoff pro meu irmão comer.