Nostalgia ou saudade da adolescência perdida.

Hoje foi aniversário de um amigo meu, amigo de longa data. Essa amizade porém, nunca passou para o plano físico, não por falta de vontade, interesse e/ou planos, simplesmente porque nunca deu certo.. Primeiro éramos muito novos pra viajar sem ter que pedir para os pais ou gastar horas de telefone e comunicação entre um pai e outro para saber se era isso mesmo… Sabe como são os pais em relação aos amigos virtuais, não que eu ache errado nem nada, eu acho até muito certo! Afinal de contas é pra isso que eles existem, para nos amar e nos proteger e se preocuparem, às vezes mais do que gostaríamos. Enfim.. voltando… agora que não precisamos pedir permissão ou esperar os tramites das negociações ‘parentais’, precisamos trabalhar e ganhar nosso próprio dinheiro pra isso. Ou seja… o mundo é injusto e a geografia não ajuda!

Longe de mim dizer que os meus amigos reais (deixo claro, que eu não acho que os amigos virtuais sejam menos reais, uso o termo somente para diferenciar os que estão perto e os que não) não são legais ou tão bons amigos como os virtuais porque eles são… se bem que… deixa pra lá.. kkk (Sempre existem exceções)

Ok.. eu me perdi, onde eu quero chegar?! Pronto.. foi aniversário desse meu amigo e eu fui parabenizá-lo através do facebook e comecei a lembrar de como era bom ser adolescente… Como passávamos horas á toa… Ok, ok.. eu não sou o exemplo de pessoa mais ocupada do mundo, ainda passo horas á toa, mas não significa necessariamente que eu deveria. hihihi

Mas quando a gente é adolescente não tem preocupações, não pensamos muito em futuro, nós temos sonhos, é verdade, pensamos em fazer uma faculdade específica, viajar pra algum lugar especial, ou qualquer coisa do tipo.. mas pensamos que ainda somos muito jovens e temos muito tempo sobrando pra nos preocuparmos realmente com essas coisas.. Não me entenda mal, eu não me acho a super adulta responsável que está prestes a dar-lhe uma lição de moral parent-style.. muito pelo contrário, eu com meus quase 25 anos como meu pai insiste em dizer toda vez que dou uma escorregada, ainda sou aquela adolescente que sonha e acha que tem muito tempo pra viver ás vezes.. Mas tembém sei que o tempo passa rápido, despercebido… Ontem eu estava saindo do ensino médio, e hoje já estou formada e trabalhando e construindo uma carreira e vida que é só minha, onde todas as responsábilidades pelas coisas erradas e créditos pelas coisas certas cairão sobre mim! Às vezes fico pensando: o que aconteceu com os anos no meio disso tudo?

Sim, eu sinto falta de quando eu tinha ’25’ amigos virtuais… não que eles não sejam, pelo contrário, tenho certeza que alguns deles são muito mais fiéis dos que estão perto de mim. Não é esse o ponto.. Sinto falta das madrugadas que passava acordada falando mal da vida dos outros com a Anna, discutindo problemas e felicidades com a Gaby, tentando estabelecer uma comunicação com o Elias, resolvendo coisas do fórum que era ‘só meu’ com o Caio… entende ontem quero chegar? eu ainda converso com essas pessoas. Ainda falo mal dos outros com a Anna, especialmente com ela , tenho um relacionamento bem sólido, ainda falamos de coisas futeis.. mas a despreocupação da adolescencia, o descompromisso com as coisas.. o prazer, a expectativa das coisas novas… as dúvidas, os sentimentos… são diferentes.. a gente mudou, o mundo mudou… Eu sinto falta disso às vezes… E não só com os amigos virtuais que foram os que mencionei aqui..

Eu sinto falta da galera da escola.. ensino médio sabe? Fazíamos tudo juntos.. ou quase tudo, fato é: éramos unidos, senti falta disso na faculdade, um grupo grande, unido.. que fazia coisas juntos, organizavamos festas e churrascos, e sempre dava certo… todos ajudavam… sinto falta da inocência daquela época. Nos sentíamos os donos do  mundo, e não éramos nada!

Eita nostalgia………….

PS: Não tenho certeza se eu consegui ‘me fazer entender’.. mas também não acho que tenha me esforçado muito para organizar tudo isso na minha cabeça… então, sinto muito!

Deal with it!

Anúncios

Um comentário sobre “Nostalgia ou saudade da adolescência perdida.

  1. Cristiano disse:

    Sei bem do que você tá falando, conheço essa saudade de momentos que se foram e que hoje nos deixam a sensação de que não os aproveitamos como deveríamos. Confesso que não tive uma infância como a sua, afinal quando fui ter ‘amigos virtuais’ eu já estava praticamente fora da adolescência e a grande maioria deles é real também (não que os virtuais sejam irreais, mas vc me entendeu)…rsrs. Mas eu entendo que o foco não são os amigos e sim a saudade que sentimos de épocas, acho inclusive que surtaríamos se não houvesse nesse tempo, nesse em que a gente vive, coisas que são importantes pra gente, coisas das quais nos desprederíamos pra sempre se fosse possível voltar no tempo (você já deve ter assistido “Efeito Borboleta” e entende o que eu tô falando, né?…kkkkkk Viajei da hora agora =P). Eu acho que nós, quando nos flagrarmos em meio a esses ‘devaneios nostálgicos’ devemos nos empenhar em fazer com que os momentos com as pessoas que são pra nós importantes sejam tão intensos quando possível, fazendo desses momentos saudosos uma lição, pra quando a gente olhar pra trás poder dizer que, se faltou algo não foi pro falta de tentativa, embora ache (por experiência própria) que o ser humano nunca vai estar completamente satisfeito com nada.
    Em suma, é esse mesmo sentimento que faz de nós o que somos, que nos identifica. Quem sente saudades é porque teve algo bom e marcante na vida… Essa é a essência.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s