Alguma coisa sobre Bullying

 

Pois é, o assunto da moda é Bullying.. Essa coisa de inventar apelidinhos, de zuar colegas e bla bla bla…
Uma simples googleada ou uma olhadela na Wikipedia e você descobrirá as diversas formas de praticá-lo, ou não..

Fato é,  esse tal de Bullying sempre existiu e sempre existirá. Mas antes de ficar famoso era conhecido como intimidar, judiar, implicar, assediar, etc..  Reconheceram? Lembraram agora? Quem nunca foi alvo de zoação na escola? Quem nunca teve um apelido ‘engraçadinho’ ? Quem nunca fez brincadeirinhas com aquele amigo ‘nerd’ ou ‘estranho’ ? Todos já fizemos isso ao menos uma vez na vida. Todos nós já fomos em algum momento “bullynados”, e se você ainda não foi, prepara-se, você pode ser a próxima vítima!

O que eu não entendo é:  Por que essa super ‘valorização’ da mídia em cima disso agora? Meu pai foi zoado na escola, porque tinha orelhas grandes (ele ainda as tem), meu irmão por consequência também é bem dotado quando o assunto é ‘orelhas’. Eu sempre fui gorda, claro que em alguns momentos eu não gosto, mas na maioria do tempo não me importo, e sim, as pessoas faziam brincadeiras sem graça comigo, inclusive com um dos meus sobrenomes. Quem me conhece sabe que tenho um nome imenso, e não estou exagerando, ele é imenso, MESMO. Um deles é ‘delgado’, que também quer dizer fino, o meu completo oposto! 😉 Agora imagine uma criança no 5º ano do fundamental, antiga 4ªsérie, aprendendo pela primeira vez o sistema digestório humano, só eu sei quanto fui zuada por causa do intestino delgado. Meu parente, o tal intestino aí, pertíssimo galera, sangue do meu sangue!
Muita gente sofre com isso, eu sei, também sei que pode deixar pessoas frágeis ou inseguras, ainda mais inseguras, isso acarretaria no mínimo grande desconforto e pode evoluir para problemas psicológicos terríveis, envolvendo auto imagem e etc…

Uma pessoa maltradada por ser gorda pode enfrentar uma bulímia ou anorexia… Uma pessoa zuada por ter nariz grande por exemplo, morreria por uma cirurgia plástica. E a preocupação também vem dos pais, minha mãe me conta que quando eu nasci, meu pai me viu primeiro porque ela fez cesária, estava voltando da anestesia, cheia de dores, meu pai chegou no quarto, abaixou e falou no ouvido dela: “Ela não tem o seu nariz, nem minhas orelhas”.  Entendem oque estou querendo dizer? Até os pais nos ‘bullynam’. Bullying sempre foi ‘normal’ de certa forma, crianças falam das outras, brigam umas com as outras, mostram quem é mais forte, desde muito pequenas.. O problema, na minha opinião que não significa muita coisa, é a importância que a mídia em geral tem dado a isso. Tudo o que acontece “é culpa do bullying”.

O massacre no Rio – culpa do bullying.
O índice de disturbios alimentares – culpa do bullying
O aumento no índice de suicídio – culpa do bullying
Enchentes no Brasil – culpa do bullying
Terremotos no Japão – culpa do bullying

Como disse “meu” sábio ‘amigo de nós todos’ Cid, vulgo @naosalvo “Regra n.1 de 2001 – Na dúvida culpe os árabes >>>>>>> Regra n.1 de 2011 – Na dúvida culpe o Bullying”

Tá aí a imagem que não me deixa mentir!

 Será que essa mesma mídia que coloca o Bullying como culpado não é a verdadeira culpada? 
A cada dia vemos mais pessoas insatisfeitas com a própria aparência, condição financeira e intelectual. A cada dia vemos mais casos de preconceito, de violência gratuita, de depressão… 

Culpa do Bullying ou dos valores distorcidos que a mídia atual nos impõe?

Será que essa coisa toda de culpar o Bullying não é só uma desculpa que encontraram para todos os problemas da humanidade?
É muito mais fácil culpar alguém ou alguma coisa pelos infortunios da nossa vida!
Pessoas agridem e/ou matam outras porque tem um histórico de Bullying? Eu também tenho,oras… Cuidado galera! ¬¬’
Por favor… me respeitem né?!

Desculpa de aleijado é muleta!

Tenho dito.

 

E você pensa o que?

O magnetismo existente nas saídas…

 

Esses dias andando no corredor da faculdade com meu amigo Rafael, discutíamos sobre esse magnetismo que atrai as pessoas para as portas de acesso e saída..

O corredor da minha faculdade não é exatamente o corredor mais largo do mundo..  se você anda com três amigos, já impede a passagem de pessoas, o que me irrita profundamente principalmente quando estou com pressa, como  já disse. Mas é incrível como as pessoas resolvem parar em lugares impróprios, se andar devagar já atrapalha imagine parar! Não sei qual é o problema afinal..

Horário de saída e chegada sempre são os piores..  Muitas vezes eu que busco meu irmão na escola, para buscá-lo passo em frente a pelo menos duas outras escolas,  não sei o que aqueles adolescentes tem na cabeça que os faz andar no meio da rua, sem nenhuma preocupação como se ali fosse a calçada. O dia em que alguém passar brincando de boliche e fizer um ‘strike’ o pessoal vai reclamar. Cuidado crianças! Olhem antes de atravessar e NÃO ANDEM NO MEIO DA RUA!!!!! Pior do que aqueles que atravessam a rua como se estivessem desfilando em câmera lenta (o que normalmente acontece com meninas que se acham gostosas, ou pessoas realmente feias que não tem espelho em casa), são aquelas pessoas que andam no meio da rua, e pasmem, param e conversam com o amigo que sabiamente ficou na calçada. É por isso que saídas escolares me irritam muitíssimo.

Mas voltando a faculdade, como o ‘engarrafamento’ já é esperado e ninguém fica dando sopa no meio da ‘rodovia’, o problema é depois que você entra. As pessoas tem uma mania horrorosa de ficar conversando em frente as portas das salas. (DICA: Só faça isso se sua sala for a última do corredor). O que além de impedir a entrada dos colegas da mesma sala, o que não é lá o grande problema da coisa já que eles estudam juntos um simples ‘pô cara, dá pra sair do meio?!’ resolve. Eles também interceptam o tráfego dos demais estudantes. Enquanto tem apenas duas ou três pessoas conversando ‘vá lá’, depois disso fica “impassável” ali. Além de ter que passar no meio das pessoas e interromper a conversa o que pra mim já é extremamente chato, tem que sair pedindo licença e as pessoas muitas vezes não escutam.

Outro momento que isso acontece é no intervalo, especialmente quando está chovendo, minha faculdade não tem uma área coberta do lado de fora, e a cantina, vulgarmente chamada de DCE, também não é próxima do pavilhão das salas e nem tão pouco existe uma passagem coberta que dê acesso a tal lugar, logo as pessoas ficam ali na porta decidindo se saem ou não. Na saída isso é comum também. Mas nesse momento você realmente precisa sair, o que te obriga a enfrentar a maré de pessoas paradas esperando a chuva passar. Já no intervalo, se não estiver com paciência de enfrentar a multidão de indecisos simplesmente fica sala. Duro mesmo é quando você pede licença e a pessoa não escuta ou olha com cara feia. Dá uma vontade de dizer: “Meu filho, anda, você tá indo pra casa não precisa ter medo de se molhar, não derrete e um banhinho de chuva de vez em quando não faz mal a ninguém, agora vá”.  Qualquer dia trollarei essas pessoas, sairei empurando todas elas para debaixo da chuva.

Agora me explica porque raios quando não está chovendo nem nada, as pessoas ficam paradas no encontro dos corredores, perto dos bebedouros? Não tem nenhum lugar menos movimentado do que literalmente o meio do corredor? Não dá pra ficar um pouquinho mais no canto e deixar as pessoas passarem peloamordedeus???
Eu, de verdade, não entendo…  =/

O que vocês acham??  Deixem-me saber! Comentem aí.. se o botão não estiver aqui em baixo, estará lá em cima perto do título, é só procurar… Come on.. don’t be lazy guys!!!

______

Texto dedicado ao Rafael Petterman!!!! – Demorou mas saiu Rafa!